Buscar
  • Ana Costa

Apoie: “Tanatopedia - 101 verbetes sobre a morte” está com campanha ativa no Catarse




Materializar um sonho é uma experiência única, intensa e que me fez viver com mais intenção. E, desde o início, essa vivência está me trazendo aprendizados valiosos. Durante a pesquisa de mestrado, encontrei diversos termos sobre a morte e me propus a aprofundar-me no assunto. Quando assumi para mim mesma que queria mesmo publicar esse livro e que meu desejo era compartilhar meus aprendizados com o mundo, me dei conta de que, para isso acontecer, eu precisaria encontrar pessoas que acreditassem nesse projeto tanto quanto eu acreditei desde o início. E, felizmente, isso aconteceu naturalmente. Aos poucos, reuni uma equipe de mulheres incríveis ao meu lado que também acreditam na importância de desmistificar a morte. Assim, juntas, materializamos esse sonho. E, definitivamente, essa está sendo uma das experiências mais extraordinárias de toda a minha vida.


Hoje, dia 2 de novembro, já está ativa no Catarse a campanha de financiamento coletivo do meu livro “Tanatopedia: 101 verbetes sobre a morte", prefaciado por Maria Julia Kovács, professora livre-docente da USP e pesquisadora da morte.


O projeto é ilustrado pela artista visual Caroline Murta, pessoa que admiro há anos. Assim, o livro é também uma enciclopédia ilustrada que, esteticamente, remete às enciclopédias ilustradas do século XIX. Para além do cuidado artístico e do apuro científico, tenho para mim que esse é o principal objetivo do livro: desmistificar a morte com naturalidade e de uma forma respeitosa. Especialmente após dois anos pandêmicos, a minha prática na psicologia clínica só reforçou a necessidade de pensar a morte, encarar o luto e compreender que a finitude nos ajuda a dimensionar o quanto a vida é vasta e valiosa.


Sou psicóloga, tanatóloga e mestranda em psicologia. Durante minha trajetória de pesquisa, não encontrei uma enciclopédia cujos termos explicassem como a sociedade contemporânea pensa e encara a morte. E, mais do que isso, como isso se dava aqui no Brasil. Curioso, não? Talvez esse seja mais um reflexo do tabu que envolve esse tema na nossa sociedade. Sempre me pareceu importante entender a morte, para vivermos melhor e para apoiarmos aqueles que experienciam o luto.


De hoje até o dia 10 de dezembro, o financiamento estará aberto e ativo. Marcadores, cartões postais, um bucket list, uma impressão fine art exclusiva com arte de Caroline Murta e um plano de morte personalizado são as recompensas para os apoiadores do livro. Além disso, os 30 primeiros apoiadores vão ganhar de presente uma aula ao vivo e exclusiva, cujo tema é “Introdução às conversas sobre morte e morrer”, ministrada na plataforma Zoom.


O frio na barriga é real. Sonhar, materializar, realizar e agora conhecer a receptividade do mundo são sinônimos de vida. E, quando falamos sobre morte, estamos refletindo sobre a vida. Se puder, compartilhe essa informação com mais pessoas?


Conheça as categorias e saiba mais sobre o projeto: https://www.catarse.me/tanatopedia







8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo