A arte como escapismo [parte 2]

08:09

{Esta é uma continuação da minha história com a arte, que começou em outro post.}

Depois que me formei em publicidade, comecei a trabalhar no setor de comunicação de um órgão público. A primeira coisa que chamou minha atenção (e a única que me permitia um pouco de criatividade, por mais incrível que isso possa parecer) foi a parte de fotojornalismo. Aprendi a utilizar a câmera, cheguei até a comprar uma e pegar algumas amigas para fazer ensaios conceituais, além de inúmeros autorretratos.

 

 


Acho que todo o aprendizado que a fotografia me proporcionou foi me despertando gradualmente a querer desenhar, ilustrar, pintar. Afinal, fotografia significa pintura com luz. Ao aprender sobre enquadramento, exposição, foco, vi que dava pra criar muita coisa bonita, e até mesmo através de self-portraits eu conseguia expressar esse lado criativo como forma de me distrair da depressão.






Ao mesmo tempo em que fotografava, comecei a observar alguns artistas de perto novamente, fui percebendo que eles tinham algo em comum: curiosidade insaciável. Um artista digital estava aprendendo a ilustrar com lápis, um outro que só usava nanquim preto começou a pintar com aquarela, o retratista de grafite começou a tatuar, e assim percebi que eles não eram artistas-de-uma-coisa-só. Eles eram artistas. E a arte existe em diversos formatos, e quem se envolve com arte está sempre aprendendo.


Observando alguns amigos se arriscando na técnica de pontilhismo, um dia sem qualquer pretensão fiz o quadro acima. Acho que foi o pontapé que faltava pra constatar que eu podia me arriscar também na arte tradicional, nas ilustrações, pinturas, mesmo sem saber exatamente o que fazer ou como fazer.



E por enquanto é isso. Tenho desenhado, fazendo pontos, misturando tintas, usando gouache, aquarela, nanquim... mal consigo explicar o quanto tem sido terapêutico pra mim. Eu nunca tinha parado pra pensar que desenhar fazia com que toda a minha atenção ficasse voltada para aquilo, e consequentemente distraía minha mente de pensamentos depressivos, depreciativos e todas as fantasias loucas que habitam minha mente.

Ainda não tenho um traço definido, nem um objetivo com nada do que crio, apenas sei que quero ser melhor e manter a mente aberta, vou andar por esse caminho sem ligar muito pra onde ele vai me levar. O futuro dirá.

Até a próxima!

Você também pode gostar

4 comments

  1. suas artes são tão lindas! queria muito ter seu dom. Achei seu blog um dia desses quando procurava sobre "hannibal" e foi meu melhor resultado!

    ResponderEliminar
  2. Um hobbie criativo faz tão bem e toda a gente devia descobrir aquele com que mais se identifica!
    Gostei muito das fotografias e ilustrações!

    Beijinhos,
    --
    Sofia | Seventeen Seconds
    Most recent post: How to Create Bilingual Posts on Blogger

    ResponderEliminar

Obrigada por ler o post até o fim! Eu sempre respondo os comentários, então se você gostaria de ver minha resposta, clique no botão "notificar-me"!
<3

Subscribe