A arte como escapismo [parte 1]

16:06

Há um tempão atrás fiz um post no antigo blog Strange and Unusual falando sobre como me redescobri na arte, como me fazia bem e como parecia bom criar coisas. Mas mesmo fazendo quase um ano que essas palavras foram ditas, só "agora" decidi me dedicar um pouco mais a isso (não me perguntem por que). Hoje vim contar um pouco da minha história com a arte e onde ela tem me levado. Clique nas imagens para aumentá-las.


Sempre fui uma "art appreciator", ou seja, sempre gostei de conhecer artistas, ser capaz de reconhecer suas técnicas e trabalhos, de fazer amigos artistas e conversar sobre isso com eles. Quando era criança, arrancava páginas de uma bíblia ilustrada com arte barroca, porque achava aquilo lindo demais. E lembro que, quando minha mãe me mandou pra aulas de piano, a sala era a mesma das aulas de arte, e eu via os trabalhos realizados pelos alunos, os pincéis, as tintas, e enquanto tocava piano só queria mesmo estar desenhando e pintando também.





Logo depois comecei a fazer algumas artes digitais usando o GIMP. Isso lá pelos idos de 2003. Tinha uma conta no deviantART (sob o criativíssimo nome "purgatoric-life") e publicava muito empolgada aquelas coisas que não tinham técnica alguma! Lá que conheci alguns artistas que possuo contato até hoje, aprendi muita coisa sobre técnicas, principalmente digitais.


 


Quando fui prestar o vestibular, eu tinha uma ideia fixa de fazer Artes Visuais. Como não havia esse curso na minha cidade, e meus planos de me mudar para Curitiba foram por água abaixo, eu fiz o que havia de mais próximo daquilo: Publicidade. Sou formada desde 2011, mas infelizmente o curso não foi nem de perto algo que me aproximou da arte ou me proporcionou a satisfação que eu gostaria (e vou falar sobre isso mais profundamente em outro post).



 


Acho que a decepção com a faculdade misturada com minha falta de persistência contribuíram muito pra que eu abandonasse planos de ser uma artista, e passei por um hiato criativo que durou muitos anos. Misturado a tudo isso houve uma depressão sinistra que acabou com a minha auto-estima, e me encheu de pensamentos do tipo "nunca vou ser boa em nada", "fazer isso é inútil", "não vale a pena", "tá horrível", etc. E por isso perdi muito tempo, o que olhando pra trás me deixa muito chateada por todo o aprendizado que perdi, as oportunidades de focar em algo criativo, construtivo, ao invés de me encher de auto-piedade e vergonha.


  

{Essa é a primeira parte da minha história com a arte. Espero que tenham gostado. A segunda parte você pode ler clicando aqui}

Você também pode gostar

4 comments

  1. Simplesmente apaixonada e ansiosa por duas coisas : ver um pouco mais da sua bela arte e ver a 2° parte da história , você é incrível ,sinto muito orgulho de você..

    http://jessicavenenoofficial.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada por todo o carinho, querida! <3

      Eliminar
  2. Minha experiência com as artes foi a melhor possível. [ bem, eu ainda estou estudando, espero adquirir forças para continuar o processo de desapontamento social, rs..] Achei interessante ler um pouco sobre você e suas aspirações. Me encanta!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Anite, tudo bem? Obrigada pelo comentário! Que bom que pra ti as coisas fluíram naturalmente e sem "sofrimento". <3

      Eliminar

Obrigada por ler o post até o fim! Eu sempre respondo os comentários, então se você gostaria de ver minha resposta, clique no botão "notificar-me"!
<3

Subscribe