Definindo meu estilo: deixando de ser gótica

08:30

Faz meses que quero falar com vocês sobre esse tema de definição de estilo de roupas, mas não sabia a melhor forma de abordar o assunto. Criei então a tag "Definindo meu estilo", e nela pretendo contar como me vestia, o que mudou, os erros e acertos e toda a trajetória pra ver se consigo montar um guarda-roupa bacana e que combine com minha atual personalidade: minimalista, simples mas sem abrir mão do preto.

Senta que lá vem história...


Eu já fui MUITO gótica na forma de me vestir (porque na vida ainda sou! haha). Do tipo meia arrastão, corset e coturno cheio de fivelas, sabe? Na adolescência é tudo mais fácil. Mas hoje, mais perto dos 30 do que dos 20, se tem coisa que eu não consigo é me produzir pro calor numa cidade onde não tem nada no meu estilo pra fazer. Onde eu moro é MUITO QUENTE. 37 graus é quase ameno. Onde eu moro não tem cena gótica. Então pra que eu vou manter um coturno de 4 fivelas da Vilella sendo que vou usar ele uma vez por ano? Pra que colocar um corset ou um vestido todo rendado e sentir o suor escorrendo pelas costas? Eu adoraria, de verdade, estar mais próxima de tudo isso e poder manter esse estilo que na adolescência não me incomodava, e me vestir e maquiar como a Sandila do Nox et Lux ou a Rubia do Nosferotika, mas depois de gastar um dinheirão com coisas que nunca saíam do armário, desisti. E o que sobrou depois que que o véu gótico se foi? Uma garota normal.

Depois de uns anos convivendo com depressão e vivendo basicamente em reclusão, depois de engordar e usar basicamente só camisetas da seção masculina da Renner, diversos destralhes documentados aqui no blog, meu guarda-roupa chegou em um ponto onde ele é basicamente uma tela em branco para trabalhar. Tenho pouquíssimas roupas, e muitas das que ainda estão comigo estão aguardando um comprador feliz lá na minha lojinha do Enjoei para que eu tenha grana pra comprar novas coisas. A questão é: que coisas?

Eu tenho lido muitos blogs e visto muitos vídeos sobre estilo na internet, porque nunca fui entendida de moda (e na verdade não sei como minha mãe me deixava sair de casa usando certas roupas hahaha), então tá rolando um aprendizado muito grande antes de sair montando outro guarda-roupa. Claro que algumas mudanças já rolaram, vários erros inclusive, por exemplo comprar um sapato achando que ele vai ser usado todos os dias para sempre e depois perceber que não tem nada a ver, não combina com nada ou te faz passar uma impressão diferente da que você gostaria.

Enfim, este é o primeiro post da série, espero postar sobre isso mais vezes e quero muito saber as opiniões de vocês sobre isso. Até a próxima!

Você também pode gostar

6 comments

  1. Aí que maravilha! vou adorar acompanhar essa sessão hahaha. Na adolescência também me vestia super gótica, do tipo batom preto e crucifixo gigante no pescoço, numa cidade também bastaaante calorenta. As vezes olho umas fotos minha e penso " geeente o que é isso" hahaha. Mas enfim, com o passar do tempo fui definindo um estilo e hoje posso dizer que gosto muito do vintage, procuro comprar roupas mais nesse estilo e acho que combina comigo e particularmente acabei me apaixonando um pouco por moda, mas moda como arte mesmo, não nesse estilo dessas revistas excludentes e tals.
    E Anna super amei seu cabelo novo ^^

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mana, agradeço pra sempre que meus HDs todos queimaram pra apagar certas coisas do meu passado viu.
      Já estou com vários posts programados sobre esse tema, espero que goste!

      E obrigada pelo elogio ao cabelo :D

      Eliminar
  2. Eu meio que estou na mesma, viu Anna?
    Não que esteja deixando de ser "trevas", porque amo, mas estou redefinindo algumas coisas no meu estilo também... Faz bem, né? Senão a gente para no tempo.

    Vou adorar acompanhar as postagens e tenho certeza que me inspirarei muito!

    Beijões!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, esses dias encontrei uns cds de quando era mais nova, de fotos, e fiquei horrorizada, eu saía de lingerie na rua hahahaha ainda bem que era de noite e no escuro aí ninguem percebia, exceto agora vendo essas fotos cheias de flash na cara!

      Tenho várias postagens agendadas, espero que sejam uteis!

      Eliminar
  3. Acho que se você curte o estilo gótico também não faz muito sentido abandonar tudo e se vestir como alguém "normal". Às vezes a depressão faz a gente ter visões totalmente distorcidas da realidade, se é que me entende. Eu mesma me sentia a pior pessoa do mundo, mas eu só era uma pessoa como qualquer outra, com defeitos, mas também com muitas qualidades, as quais eu nunca reconhecia. O amadurecimento também traz um pouco disso, mas acredito que este amadurecimento muitas vezes vem carregado de opiniões alheias, que nem faz muito sentido assim..

    Você é adepta do minimalismo e acredito que seria uma alternativa interessante se você procurasse outras vertentes do gótico como o nu goth, por exemplo. Nele há poucas peças de roupa, tudo muito simples e básico, porém sem sair do dark. :)

    Eu também estou renovando o guarda-roupas e já estou ansiosa para ver outros posts seus.

    Beijos!


    madessy.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O fato de eu abandonar o estilo não tem nada a ver com a depressão. Citei a depressão porque ela é um dos motivos pra eu não ter muito ânimo de organizar o guarda-roupas pra algo que me agrade. Não pretendo me vestir de nenhum estilo específico, como disse ali em cima, não sou mais nenhuma adolescente e não gosto mais de andar montada. Mas continuo sendo 'das trevas' e pretendo achar um jeito de manter o preto mas de uma forma mais simples.

      Eliminar

Obrigada por ler o post até o fim! Eu sempre respondo os comentários, então se você gostaria de ver minha resposta, clique no botão "notificar-me"!
<3

Subscribe