#LendoHannibal: compreendendo o universo de Hannibal Lecter

00:00

É praticamente impossível gostar de literatura e cinema e nunca ter ouvido falar de Hannibal Lecter. O nome dele já faz parte do pensamento coletivo, sendo associado quase que imediatamente quando a gente pensa em serial killer ou em canibalismo, e não é à toa. Então hoje vou contar pra vocês sobre o universo criado pelo Thomas Harris, e também dar opções para uma sequência de leitura dos livros. Esse texto e vídeo fazem parte do meu projeto #LendoHannibal, que visa ler e discutir essas obras maravilhosas e tudo o que gira em torno delas. Este é o primeiro de vários posts e vídeos sobre os livros, filmes e séries, e serve como introdução para o que vem a seguir.



Durante o curso de um quarto de século o escritor americano Thomas Harris deu vida a quem hoje é considerado um dos maiores vilões da literatura e um serial killer que se tornou um ícone da cultura popular. Sua experiência como repórter policial entre os anos 60 e 70 foi moldou sua escrita e sua grande experiência e familiaridade com procedimentos investigativos da polícia, além da inspiração que resultou na revolução da literatura policial, acrescentando elementos psicológicos e da literatura gótica e de horror. Somando isso às descrições quase poéticas de mortes violentas e suas inúmeras referências, a influência do horror na narrativa de Harris não pode ser negada. De fato, a aura que reside ao redor do serial killer canibal Hannibal Lecter pode ser comparada a uma visão contemporânea e ocidental de Drácula, e não e só porque ambos mordiscam suas vítimas. 

Hannibal foi um personagem construído no ápice do interesse americano pelo serial killer. Ao todo, Thomas Harris escreveu quatro livros em torno da figura de Hannibal Lecter. O Dragão Vermelho, lançado em 1981, foi a obra mais adaptada na televisão e no cinema, inspirando dois filmes (Manhunter 1986  e Red Dragon 2002) e uma cultuada série de tv (Hannibal 2013-2015). Curiosamente, Hannibal é, se muito, um personagem secundário no romance, e aparece somente 4 vezes em suas mais de 350 páginas. Apesar disso, o impacto que ele causa na narrativa, principalmente na vida de Will Graham, o agente especial do FBI que o capturou, é enorme. Em 1988, Harris explora ainda mais as características sinistras e sofisticadas de Lecter em O Silêncio dos Inocentes, onde ele dessa vez interage com outra agente do FBI, a trainee Clarice Starling, com eventos que culminam na sua fuga do hospital Baltimore para criminosos insanos. O livro foi adaptado em 1991 e, com 5 Oscars, transformou Lecter no vilão nº 1 de todos os tempos do American Film Institute (e Clarice como 6ª heroína). 

O Dragão Vermelho e O Silêncio dos Inocentes possuem uma fórmula parecida: o psiquiatra Hannibal Lecter é um serial killer canibal encarcerado, que diante do desespero do FBI para encontrar um assassino que está a solta, decide orientar um agente federal extremamente empático para que ele, por si só, descubra quem é o assassino, e em retorno manipula todas as situações para seu próprio divertimento. O que poderia ser apenas mais uma série de histórias de crime se torna algo muito maior se analisado sob um olhar psicológico e/ou filosófico, e uma compreensão da visão da natureza humana sob a ótica do artista William Blake pode transformar inteiramente a experiência de leitura. Nas epígrafes de Dragão Vermelho, a citação de passagens das Canções de Inocência e de Experiência, de Blake, é um indicativo de como a dualidade entre bem e mal é componente essencial do homem e se complementa na narrativa de Thomas Harris. Além das explícitas referências a William Blake no livro Dragão Vermelho, estudiosos da obra de Thomas Harris conseguem encontrar referências à obra do pintor e escritor nos quatro livros da série na construção dos antagonistas de cada livro, mas também na figura do próprio Hannibal Lecter. A relação do bem com o mal foi construída com perfeição em um personagem que é tão complexo, que é difícil dizer se o leitor deve amá-lo ou odiá-lo, ou se de fato há uma escolha a ser feita.

Harris não costuma dar entrevistas e é reconhecidamente um homem recluso, portanto podemos apenas imaginar os motivos que o levaram a dar continuidade ao universo de Hannibal Lecter, mas provavelmente o sucesso e o dinheiro influenciaram bastante. Em 1999 é lançado Hannibal, com o canibal caminhando livre pelo mundo e sendo perseguido por uma de suas vítimas que sobreviveu e busca vingança. E em 2006, Harris conclui a história publicando uma desnecessária justificativa para a maldade e o canibalismo de Lecter, além de escrever o roteiro do que veio a ser um filme igualmente fraco em Hannibal, A Origem do Mal.



EM QUE ORDEM LER OS LIVROS?


A ordem de leitura dos quatro romances influencia diretamente na forma como o leitor vai interpretá-los. Enquanto podem de certa forma ser consideradas obras autossuficientes, elas fazem parte de uma história maior intrinsecamente conectada. Um leitor que se interessa pela obra através de sua mais famosa adaptação para o cinema e inicia a leitura por O Silêncio dos Inocentes pode ficar confuso ao ver tão pouco de Lecter em Dragão Vermelho. Ao mesmo tempo, a escolha da ordem cronológica dos acontecimentos iniciando a leitura por A Origem do Mal pode desinteressar o leitor a buscar os outros livros, devido principalmente à baixa qualidade da obra, lançada em 2006. Na própria edição brasileira da editora Best Bolso não há indicação da ordem de leitura, e a venda de um box contendo os três primeiros livros, desconsiderando a existência de A Origem do Mal, pode confundir ainda mais o leitor.

Claramente existe uma escolha a ser feita pelo leitor quanto a que tipo de experiência de leitura ele deseja obter. Há três alternativas: a leitura pela ordem de lançamento dos livros, a leitura pela ordem cronológica dos acontecimentos e a leitura isolada de qualquer uma das obras sem pretensão de continuidade ou linearidade, e desta terceira não há muito que falar, pois a leitura individual proporciona o entretenimento e entendimento necessário ao leitor.

A opção de leitura pela ordem cronológica dos acontecimentos (Hannibal, a Origem do Mal; O Dragão Vermelho; O Silêncio dos Inocentes; Hannibal) pode parecer lógica, mas resulta em uma experiência muito pobre de leitura. É preciso considerar inclusive fatores como o dinheiro na mera existência dos dois últimos livros. O consagrado filme de 1991, Silence of the Lambs, ganhador de 5 Oscars e $ 131 milhões foi um dos principais responsáveis pela fama do canibal dentro e fora do cinema e tornou Thomas Harris um homem milionário. O sucesso da adaptação desempenhou um papel fundamental na continuidade dos livros com o passar dos anos, e também com o declínio da história de Hannibal Lecter. Seria simplista demais ignorar a influência desses fatores na decisão de Harris em escrever Hannibal em 1999 e principalmente Hannibal, a Origem do Mal, em 2006.  Um artigo de 2007 da Entertainment Weekly afirma que os De Laurentiis, donos dos direitos de adaptação de Hannibal, forçaram Thomas Harris a escrever A Origem do Mal para que fosse adaptado, e se ele não o fizesse, outra pessoa faria. Resultado disso é o pior filme da franquia e um livro muito bom, mas incomparável em relação aos demais e repetidamente castigado por leitores e críticos.

Resta então, e eu recomendo fortemente, ler conforme as histórias foram escritas e lançadas. Há uma linha do tempo de 24 anos entre o primeiro e o último livro, e nisso muito mudou, talvez até a própria percepção de Thomas Harris sobre sua obra. Seguindo este raciocínio, você pode até ficar chateado pela forma como tudo terminou, mas será presenteado com livros magníficos que ressignificaram a história policial e a forma de construir um vilão na literatura. Segue, portanto, minha recomendação: 


  1. O Dragão Vermelho (lançado em 1981)
  2. O Silêncio dos Inocentes (lançado em 1988)
  3. Hannibal (lançado em 1999)
  4. Hannibal, a origem do mal (lançado em 2006)




Nos próximos posts e/ou vídeos pretendo falar isoladamente de cada livro, portanto não esqueça de se inscrever no canal para acompanhar. 

Você também pode gostar

22 comments

  1. Eu comecei a ver do Silêncio dos Inocentes, e assisti a um Hannibal que tinha a Julliane Moore. Obrigado, Anna! Nunca consegui entender essa ordem porque existiam várias diferentes.
    Abraços.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que o post foi útil!
      Ontem assisti o Manhunter, achei super bacana!

      Eliminar
  2. Anna, minha linda!
    Fazia tanto tempo que não passava por aqui! Está tudo tão lindo, tão clean e com postagens cada vez mais interessantes! Meus parabéns!!

    Bom, o primeiro contato que tive com a história de Hannibal, foi com O Silêncio dos Inocentes - meu filme preferido até agora. Depois descobri o Dragão Vermelho e Hannibal, então assisti na sequência "Dragão Vermelho", "O Silêncio dos Inocentes" e "Hannibal". No caso, Dragão Vermelho é justamente um remake do Manhunt (que nunca assisti, mas pretendo), então se for seguir a ordem cronológica, ele vem primeiro mesmo. Erro grave o da editora em não ter numerado os livros da box.

    O Rising eu juro que tentei, mas nunca cheguei ao final!
    Beijões!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Poxa, você me lisonjeia bastante assim! Muito obrigada!
      O Manhunt eu vi depois de fazer esse post, é extremamente fiel, muito mesmo! Só o final tem uma cena muito anos 80, desnecessária e risível, mas o filme é tão bom que dá pra relevar.
      O Rising passou tantas vezes na tv fechada que eu acabei assistindo várias vezes, mas não é meu favorito não. Agora falta ler o livro.

      Beijos!

      Eliminar
  3. Harris <3 Sou apaixonado por Hannibal, mas nos primeiros anos em que peguei as obras pra ler também fiz caquinha qiuwhuiqwhduiqhwd Por sorte, consegui por tudo em ordem logo na segunda leitura. Lembro que os primeiros livros que comprei no sebo foram Filadélfia e O Dragão Vermelho, amei ambos, mas sempre gostei da conduta, das filosofias e das entrelinhas do Dr. Lecter.

    Quando eu tiver minha editora vou republicar essa coleção bem bonita, organizada e dinâmica, prometo rs LOL

    xoxo

    ResponderEliminar
  4. Muito obrigado !
    Foi muito útil sua postagem.
    Comprei esse box também e não conseguia identificar a ordem correta hahaha

    ResponderEliminar
  5. Muito obrigado !
    Foi muito útil sua postagem.
    Comprei esse box também e não conseguia identificar a ordem correta hahaha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que foi útil, Eduardo! Obrigada por avisar! <3

      Eliminar
  6. Cometi o mesmo erro que vc quando fui assistir os filmes, dai vi que não tava entendendo muita coisa vi que a ordem dos filmes estava errada uhsauhsuaha, eu não sabia dessa coleção de bolso, comprei os livros todos separados em tamanho normal, o mais difícil de encontrar foi a origem do mal que por muita sorte eu consegui em uma troca do skoob, tem a capa do filme, bem lindao. Amei esse guia sobre o silêncio dos inocentes e vou procurar em sebo, fiquei curiosa para ler.

    eunaonascinosanos80.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imagina a raiva né? Tenho que reler tudo! Se bem que são tão bons que não acho isso nenhum sacrifício hahaha.

      Obrigada pelo comentário, Lu <3

      Eliminar
  7. Boa Anna, estão na minha listinha , quem sabe de 2016 !!

    ResponderEliminar
  8. Eu comprei separado na edição best de bolso e comprei apenas o silêncio dos inocentes, por sorte uma amiga que assisti a série numa conversa comentou que era uma trilogia (eu só sabia do silêncio dos inocentes) e fiquei muuito puta pq em nenhuma parte do livro a editora faz referência a trilogia, apenas fala que o autor escreveu os outros livros mas dando a entender que são outras histórias.
    É muito triste isso

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também fico de cara com essas coisas hahaha! Por isso fiz esse post, sabia que ia ter mais gente perdida!

      Eliminar
  9. Só pra testar eu pesquisei no google, COMO LER HANNIBAL, e vc tá em primeiro, claro, hahahaha. :P Amei o post, vou compartilhar no Pipoca :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. HAHAHAHAHA! PQP!
      Esse é de fato o post mais visitado do blog (ou pelo menos era antes do desafio do Poe), as pessoas me mandam email agradecendo a existência dele, morro de orgulho hahaha
      Eu ando querendo fazer posts parecidos pra outras histórias e autores, porque às vezes não sei por onde começar a ler, acho esse tipo de post muito útil!

      Beijo amiga! <3

      Eliminar
  10. Anna! Melhor começar pela origem do mal entao? Bjs Ju

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom, você pode ler na ordem que quiser, hahaha, mas não vai entender muita coisa. A ordem correta, como disse lá no post, é:

      O Dragão Vermelho (lançado em 1981)
      O Silêncio dos Inocentes (lançado em 1988)
      Hannibal (lançado em 1999)
      Hannibal, a origem do mal (lançado em 2006)

      Bjs.

      Eliminar
  11. Olá Anna, gostaria de saber se essa ordem de livros serve para todos, até os que não são da box do Hannibal da editora Best Bolso?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A ordem dos livros nunca vai mudar, independente de qual editora lançar os livros, afinal é a sequência lógica da história. :)

      Eliminar

Obrigada por ler o post até o fim! Eu sempre respondo os comentários, então se você gostaria de ver minha resposta, clique no botão "notificar-me"!
<3

Subscribe