Aprendendo caligrafia: itens básicos

07:45


Dias atrás eu comentei com vocês que havia começado a praticar caligrafia e, para meu deleite, muitos se interessaram em acompanhar o meu progresso e até tentar aprender também. O primeiro passo para começar a prática é entender quais são as ferramentas que utilizarão, onde encontrar pra comprar, quais itens são melhores, etc.

Eu demorei bastante pra fazer este post porque queria mostrar as minhas próprias ferramentas, fotografando e tudo o mais. Mas sem luz adequada fica muito complicado, então esperei até surgir alguma oportunidade de fotografar.

Se você decidir começar com o que tem em casa, go for it. O importante é a dedicação em praticar. Um caderninho pequeno e um lápis podem fazer uma diferença tremenda no seu progresso.

Os itens básicos são:


  • Holder ou cabo: Peça de madeira ou plástico para fixar a pena. Existem dois tipos básicos de holder, o reto e o oblíquo. O oblíquo é utilizado principalmente por destros, e é muito importante porque para escrever (principalmente no estilo Copperplate, que falarei mais tarde), é preciso que as letras fiquem num ângulo de 55º. O holder oblíquo auxilia que os destros consigam esse ângulo sem precisar ficar em uma posição desconfortável ou entortar o papel na mesa. Custam entre R$ 7,00 e R$ 20,00, dependendo do material. 





  • Nib ou pena: A pena é a parte utilizada para escrever! São também chamadas de "dip pens", Ao contrário das canetas comuns, elas não têm reservatório de tinta, então para escrever é preciso mergulhar a pena na tinta (bem clássico, né?). São usadas tanto para caligrafia, quanto para arte. Existe uma variedade enlouquecedora de penas, cada uma com uma finalidade, e foi bem difícil escolher qual começar. Para a prática, estou usando uma Leonardt 30, de ponta extra fina. As Leonardt 30 ou 300, Nikko G e Zebra G são as recomendadas. Custam em média R$10,00. 




  • Ink ou tinta: Existe uma variedade imensa de tintas para caligrafia, e é uma escolha muito pessoal. As características que se deve procurar são: boa densidade, deve descer de forma uniforme pela pena conforme você escreve, sem formar poças de tinta no papel, deve ser resistente e fixar de forma a não apagar com o tempo. Geralmente são à base de água. Você pode comprar um pote de 30ml por R$25,00, mas eu preferi comprar alguns tubos de nankin (que também é utilizado em caligrafia e artes), e tem me servido muito bem. Custa em média R$ 2,00 um tubo de 20ml. Até guache resolve, mas tem que saber diluir, então nankin é a melhor escolha.

Calligraphy Inks for Review


  • Papel: Os papéis apropriados são acid-free (livres de ácido), com gramatura um pouco maior (tenho a partir de 150g). Para começar, é bom encontrar um papel que não possua muita textura, assim a pena vai deslizar mais facilmente. Peça papel para artes em geral, tipo aquarela, na papelaria. Se você escolher o papel errado, o que pode acontecer é: a tinta vai "sangrar" no papel, fazendo borrões, porque o papel vai absorvê-la ou então a pena não vai deslizar e sim travar. Os papéis não são pautados, então o que faço é imprimir uma guidesheet com as linhas. O correto é desenhar as próprias linhas (você não vai usar papel pautado pra fazer um convite de casamento, né?), então quando eu aprender as medidas eu passo pra vocês. 
    Uma alternativa para quem quer começar e ainda não comprou os materiais é utilizar lápis. Pode ser lápis normal ou aqueles lápis de carpinteiro, que têm um lado fino e outro mais grosso. Se for utilizar lápis do dia a dia, faça assim: aponte bem e, utilizando a unha, quebre a ponta. Desta forma você vai conseguir o efeitos linha-fina-linha-grossa que a caligrafia exige. Com o tempo você vai conseguir fazer as linhas finas e grossas com qualquer lápis ou caneta.


    Itens extras: coisas que são boas deixar sempre à mão:
    • papel toalha;
    • copo com água e detergente
    • amoníaco
    • cotonetes

    Lembrando que as informações que estou dando são baseadas na minha experiência. Não sou dona da verdade e estou aprendendo sozinha - acertando e errando. Pretendo contar o que aprendo, mas posso estar errada muitas vezes. E se tiver, e você souber, fique à vontade para me corrigir. ;)


    Anna

    Você também pode gostar

    5 comments

    1. Muito bem Aninha!! Adorei as dicas, vou seguir seus passos :) Poste sempre dicas e informações a respeito, estarei esperando !! Ainda preciso reunir os materiais para colocar as mãos na massa, mas eu chego lá com o meu tempo tão escasso pra me dedicar as coisas que gosto.... bjao

      ResponderEliminar
      Respostas
      1. Obrigada por comentar Raquel! Como te disse no facebook, com lápis dá pra fazer coisas que eu nem imaginava. No próximo post já colocaremos a mão na massa! <3

        Eliminar
    2. Excelente post, cheguei aqui via Alertas Google, então, não sei ao certo do que se trata o blog, mas gostei do post, apesar que achei um pouco técnico de mais para quem está começando, mas tudo bem, vai crescendo aos poucos. Se posso dar uma dica, é que para os tipos de pena que você está usando, a tinta Nankin é a melhor, por ser mais “aguada” que a tinta para caneta propriamente dita. No mais, estou me vendo como um tempo atrás (KKKK) Eu já fui para o lado das canetas tinteiro, comprei também penas, mas para letras góticas e que diga-se, são muito difíceis de fazer.

      ResponderEliminar
      Respostas
      1. Oi Olicheski, primeiramente obrigada por comentar!
        Como você pode ver na primeira foto, a tinta que estou utilizando é justamente a Nankin, e tem me servido muito bem. Minha maior dificuldade no momento é o papel, já testei 3 diferentes e continuo sentindo a pena 'travando', não flui como deveria.
        Na verdade nem iniciei com os posts de prática, mas acho importante que quem queira praticar utilize já algumas coisas mais avançadas, porque pra fazer Copperplate (que é o que estou praticando no momento), precisa ter pena. As letras góticas acho lindas, sempre gostei inclusive de iluminuras, mas não é minha intenção aprender este estilo particular.
        Obrigada pelo link do fórum, vou dar uma olhadinha!

        Eliminar
    3. No mais, procuro sempre fazer da melhor maneira possível minhas letras e copiar sempre que posso algo do meu interesse, faço alguns cartões para a namorada, copio algo para guardar, nada comercial e sim pessoal. Não sei se é o seu objetivo, aprender para fazer cartões de maneira comercial. Um bom local discutindo sobre tintas e afins, é este fórum. O interessante sobre a escrita, é que hoje em dia é algo totalmente autodidata, não existem cursos propriamente dito e por mais que você leia sobre o assunto, o progresso estará em você treinar e treinar, falando/escrevendo/digitando +) até parece que sei muito, mas ainda tenho inúmeras coisas para aprender. Bom, vou acompanhar as novidades por aqui. Abraços e até a próxima.

      ResponderEliminar

    Obrigada por ler o post até o fim! Eu sempre respondo os comentários, então se você gostaria de ver minha resposta, clique no botão "notificar-me"!
    <3

    Subscribe